30 novembro 2006

A Arte da Dança Sagrada de Gurdjieff II

Os Movimentos Gurdjieffianos

Gurdjieff desenvolveu uma série de técnicas bastante eficazes e coerentes com a sua teoria. De entre elas algumas são mais conhecidas, tais como as técnicas para o desenvolvimento da atenção que abrange vários níveis e formas de actuação. A mais conhecida dessas técnicas é a dos Movimentos Gurdjieffianos. Essa técnica assemelha-se a uma dança onde os movimentos executados são extremamente incomuns. Além de requisitarem uma grande dose de força de vontade para serem mantidos, por causa da dificuldade em termos de equilíbrio, gera tensões voluntariamente desenvolvidas e aplicadas em áreas determinadas do corpo, tornando obrigatório ao bailarino, um estado de atenção bastante sofisticado, pois as sequências de gestos são extremamente pouco naturais. A esses Movimentos podem ser acrescentados outros exercícios internos como exercícios mentais, visualizações, ritmos respiratórios determinados, etc. o que desenvolve ainda mais a capacidade de atenção.

As Danças Sagradas são essenciais no ensino de Gurdjieff, e os seus Movimentos consistem em ideias transmitidas oralmente, exercícios físicos e trabalhos musicais. Mais que a personalidade subjectiva individual, estes Movimentos expressam leis objectivas e matemáticas governando uma possível evolução psicológica e, basicamente, também a vida como um todo. A prática dos Movimentos de Gurdjieff pode gerar uma forma de energia difícil de encontrar; possibilitam:

1. Maior presença no corpo: consciência corporal mais refinada, maior vitalidade e melhor coordenação física, percepção de sensações internas relacionadas com o movimento e correntes energéticas; chaves para uma economia da energia interna; enraizamento e centralização; equilíbrio entre os estados de atenção e relaxamento, esforço e receptividade.

2. Maior presença no coração: acção sem agitação, maior sincronicidade com os outros para além do uso da palavra, distanciamento saudável das emoções, e aparecimento de uma aspiração que nada pode apagar; equilíbrio entre as polaridades maculina- feminina.


3. Maior presença na mente: uma visão mais clara da realidade (habilidade de ver, de decidir e de actuar), melhoria na qualidade da atenção e focalização, uma observação mais consciente das dificuldades e do potencial.

Numa altura em que a humanidade está cada vez mais assoberbada por uma quantidade infinita de informação, torna-se bastante necessário retomar esse conceito e voltar os olhos para aquilo que importa verdadeiramente, no caso, o ser humano e o seu real desenvolvimento.

Além dos livros que foram publicados pelos seus alunos acerca das metodologias e teoria da sua Escola – o mais conhecido deles, e traduzido para o português é Fragmentos de Um Ensinamento Desconhecido de P. D. Ouspensky. O próprio Gurdjieff escreveu três livros: Encontro com Homens Notáveis, The life is Real only then I am e Relatos de Belzebu a seu Neto. O primeiro deles foi também remontado num filme de Peter Brook sob o mesmo nome.

1 comentário:

roberto quintas disse...

onde eu posso encontrar esse tipo de atividade em São Paulo?